Não existe voto útil, só eleitor mal informado


Como votar?Em épocas de eleição, vale a pena escrever sobre isso, pois em qualquer outro momento do ano esse tipo de conversa fica deslocada e corre o risco de se perder no vazio.

Existem vários temas falados pelas pessoas sobre as eleições em si – sem entrar no mérito dos candidatos (irei tratar sobre isso em outro post) – que são mais desinformações do que informações. Vou aqui fazer a minha parte para ajudar nisso. Sei que a quantidade de leitores do meu blog não é suficiente para ser um grande formador de opinião, mas se eu conseguir mostrar isso a pelo menos um pequeno grupo de pessoas que poderá repassar essa informação, sentirei-me satisfeito.

Uma das questões que mais me incomoda quando ouço pessoas falarem sobre eleições é a tal questão do “voto útil”, ou seja, o voto da pessoa tem que valer pra alguma coisa, por isso ela vota em quem tem mais chances de ganhar. Temos aqui dois problemas sérios: o primeiro deles é que a escolha acaba ficando desproporcional à vontade da população e caímos no risco de escolhermos diretamente um candidato que não queremos.

Vale votar só em quem vai ganhar?Uma coisa que ouvimos muito é “eu não voto em candidato X porque sei que não vai ganhar. Por isso vou votar no candidato Y que tem mais chances de derrotar o candidato Z, que não quero que ganhe.” Uma coisa que já digo de cara: esse pensamento é errado e é errado porque nosso sistema eleitoral é de DOIS turnos, não de um. Em outras palavras, não preciso votar em quem tem mais chances de ganhar ou de derrotar o oponente, pois se não houver maioria absoluta (50% +1 dos votos válidos), a eleição vai para o segundo turno, onde os dois mais votados concorrem pela maioria dos votos válidos.

Então, se quero votar no candidato X, que tem pouca intenção de votos nas pesquisas, eu posso e devo votar nele. Não preciso votar em candidato Y, só porque ele tem mais chances de derrotar o candidato Z que você não quer de jeito nenhum que vença porque o candidato Z só irá vencer se ele tiver maioria dos votos. Para que isso não aconteça, basta não votar nele ou não votar em branco ou nulo! Assim, as eleições irão para o segundo turno e as chances de seu candidato concorrer lá aumentam.

Nas pesquisas eleitorais eles só perguntam em quem você irá votar nas próximas eleições. Isso leva a um pensamento do eleitor que é: “Não vou votar em quem eu quero pois ele não tem chances de vencer. Então vou votar em quem acho que tem mais chances, para o meu voto servir para alguma coisa.” Eu não tenho os dados, mas tenho CERTEZA que se, junto a essa pergunta fosse feita outra, como: “Independente de quem você acha que irá ganhar ou que tem mais chances de vencer, se dependesse unicamente de você, quem você gostaria que fosse o próximo candidato eleito?”, a gente veria uma enorme discrepância entre o voto de fato e a intenção real do voto. Garanto até que essa discrepância seria tanta a talvez até mudar o resultado das eleições para um rumo completamente diferente. Quem sabe, se as pessoas realmente votassem nos candidatos que querem, não nos que acham que vão ganhar, as eleições seriam muito mais verdadeiras e e demonstrassem as reais intenções da população.

É preciso conhecer nosso sistema eleitoral.Mais isso só é válido para as eleições que tem segundo turno, ou seja, para os cargos de presidente, governador e prefeito. Os cargos do senado são eleitos em um único turno, então nesse caso vale o “voto útil”. E os cargos para deputado federal, deputado estadual e vereador são votos por legenda, e o que vale mais é a ideologia do partido. Mas isso é uma outra história…

Sei que o sistema eleitoral brasileiro não é perfeito – por começar com a obrigatoriedade do voto – mas é o sistema que temos. Se não participamos dele, não temos nenhum direito de reclamar das coisas que acontecem no governo. E sem poder reclamar, eles podem fazer o que quiserem e nós ficamos a esmo, jogados no canto, sem praticar cidadania e sem usufruir dos nossos direitos. Vale a pena conhecer os nossos direitos e exigi-los, como é o caso da eleição. No final, somos nós que colocamos os políticos no poder, seja por escolha ou omissão. Então, escolha bem agora no dia 3 de outubro!

Saiba como votar!

Comments (6)

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Pablo de Assis, José Fagner and Carlos Hayashi, Pablo de Assis. Pablo de Assis said: #nbp Não existe voto útil, só eleitor mal informado http://bit.ly/bu8Ihq […]

  2. […] o candidato que tem mais chances de derrotá-lo, e caímos no erro do voto útil. Para saber porque voto útil não serve para nada, clique […]

  3. […] pessoal que trará um melhor debate, ao invés de simplesmente votar em qualquer um ou tornar o seu voto útil. Só que mais importante do que isso é a conversa entre os […]

  4. Bookeatingboy

    Olá Pablo,

    você foi testemunha que eu enchergava errado o voto útil.

    Sempre pensei errado e lendo este post e conversando com voce no twitter depois ficou tudo muito claro.

    Agora o mais legal é quando eu pergunto ao pessoal em quem vão votar. A grande maioria dos meus conhecidos repondem que vão utilizar o “voto útil”.

    Dai com alguns poucos minutos de conversa, consigo uma das coisas mais fantasticas que existe: a quebra de um paradígma. É impressionante como algo tão simples não é visto por muitos.

    Enfim, vc está de parabéns por este post e por pelo menos, ter feito umass 20 pessoas aqui do meu círculo social mudarem de idéia ou pelo menos, entenderem que não existe o tão falado voto útil no primeiro turno.

    Um abraço!

  5. […] ser politicamente neutro durante as eleições. Mas agora não adianta mais. O Brasil foi enganado pelos governantes eleitos, e resolvi não mais […]

  6. Raquel

    Olá!
    Parabéns por esse post! Você disse tudo o que precisa ser dito sobre voto!
    Também gostei muito de você ter dito que o sistema eleitoral brasileiro não é perfeito, começando pela obrigatoriedade do voto, e eu concordo plenamente com você(assim como muitas outras pessoas também concordam). Pois, eu vejo assim: aquelas pessoas que não querem votar, votam em qualquer candidato a qualquer pedido que lhe fazem, somente por ser obrigatório. Isso é ruim, pois ela estará desperdiçando o seu voto que poderia ser muito bem pensado, refletido e analisado.
    Parabéns mais uma vez! Mesmo eu sendo apenas uma adolescente de 15 anos, acho bom saber que ainda existam pessoas conscientes que pensam no bem comum das pessoas! =)

Deixe um comentário