Como identificar um mau professor


Professores, entre outras coisas, servem pra ensinar. Existem muitos bons professores e muito mais maus professores.

O objetivo do professor é passar conteúdo para o aluno, “pro-fessar” um conhecimento. Um bom professor incentiva o aluno a ir atrás de novos conhecimentos, de construir novos conhecimentos. Um mau professor se preocupa unicamente com o seu próprio conhecimento e não reconhece que ideias não pertencem à ele e que outras pessoas podem – e devem – pensar diferente.

Para ensinar, um professor se utiliza de recursos didáticos. Eles servem, entre outras coisas, para facilitar a apreensão e compreensão do conteúdo pelos alunos, pois pessoas diferentes aprendem de formas diferentes. Um bom professor sabe reconhecer isso e consegue se utilizar de diferentes meios para atingir seu fim: ensinar de forma com que o aluno aprenda. Um mau professor se utiliza dos recursos didáticos para se defender atrás de leituras, apresentações, quadros-negros, etc.  Esses professores não se permitem ir além desses recursos didáticos e para-didáticos (como presença, organização das cadeiras na sala de aula, horário de entrada e saída, permissões para sair e/ou assistir às aulas) como forma de garantir que, formalmente, ele pareça como um professor quando a essência falta e o professor se mostra que não consegue ensinar, somente mostrar a aprência.

É pra isso que serve a escola e as avaliações?Os professores estão, em sua maioria, ligados a uma instituição de ensino que precisa, entre outras coisas, avaliar o ensino e dão ao professor da disciplina a incumbência de avaliar o aluno. O que o professor ensina deve ser avaliado e a avaliação do aluno também serve para avaliar o professor. Avaliações difíceis mostram professores exigentes. Avaliações confusas mostram professores confusos.

Correções também mostram o que o professor pensa que é importante sobre sua disciplina. Se ele é rígido na correção, isso mostra que ele quer dos alunos um preciosismo maior sobre a disciplina. Se ele é brando na correção, isso mostra que ele o professor não se importa tanto com detalhes por parte dos alunos.

Agora, uma coisa que pode ser percebido na hora da correção é se o professor desconta pontos e chega a reprovar alunos por causa de questões formais. Formalidades são importantes, mas será que isso é essencial? Será que um aluno que aprendeu a disciplina, consegue mostrar crítica e reflexão, mostra que conhece as normas mas não as aplicou – e possivelmente por falta de orientação do professor – merece ser reprovado por isso?

Um professor que faz isso, que dá mais importância ao aspecto formal do que para o conteúdo, é um professor que quer compensar sua insegurança. Quando o professor não sabe ou não tem segurança sobre o conteúdo, ele acaba compensando sua incapacidade e ineficiência superexigindo questões formais a ponto de reprovar um aluno que mostrou que conhece e sabe do conteúdo exigido. Tudo isso para mostrar que o professor serve para alguma coisa, mas para que, já que ele não tem segurança sobre o conteúdo? Infelizmente existem muitos professores mais interessados em garantir que os alunos sigam as normas da ABNT do que realmente aprendam o conteúdo e saibam do que estão falando.

Essas são algumas formas de você identificar um mau professor, um professor que não tem segurança sobre o que e como ele está lecionando e/ou avaliando.

Comments (9)

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Pablo de Assis, Pablo de Assis. Pablo de Assis said: #nbp Como identificar um mau professor http://bit.ly/99aZFg […]

  2. Gostei do texto Pablo! Por eu trabalhar em uma escola publica vejo professores de inumeros tipos, os rigidos, os que sabem educar, os que não sabem, os que são inseguros e etc.
    Mas as vezes me pergunto, caso um professor não consiga passar seu conhecimento para todos os alunos da classe, isso tambem não seria culpa do proprio aluno em si?

    Em meu serviço acabo tendo mais contato com os alunos do que com os professores em si, e vejo que muitos dos alunos se mostram totalmente desinteressados em tentar aprender algo em qualquer materia, independente de qual professor seja.

    É claro que o professor tem que ter um certo jogo de cintura pra saber lidar com os alunos e conseguir ensinar ao maior numero possivel dos mesmos, mas acho que as vezes certos alunos talvez não mereçam tamanho esforço pois este seria inutil!

    O que você acho disso Pablo?

  3. @Leonardo Nossa… essa pergunta dá um outro post sobre a relação professor-aluno. Eu ainda defendo que o problema do ensino tá no professor, mesmo nesses casos que você descreveu. Mas pra isso a gente tem que perceber que isso faz parte de uma relação entre professor e aluno e entre ensino e aprendizagem… Vou colocar na lista de temas pra escrever! =D

  4. […] pais – isso quando os pais não são péssimos exemplos. Em outras palavras, não são só os professores os responsáveis em serem bons exemplos para as crianças, mas também – e principalmente – os […]

  5. Kell Costa

    A diferença do mau para o bom professor é a dedicação e a autoridade não o autoritarismo!

    O bom professor é aquele que da aula porque ama, já o mau professor é aquele que trabalha porque não teve escolha!

    Estou no curso normal (formação de professores) e hoje mesmo formulando um relatório sobre as minhas experiencias com bons e maus professores e eu coloquei no meu relatório que os professores são bons mas os educadores são ótimos pois procuram sempre aprimorar-se.

  6. O que fazer com um professor que sente prazer em reprovar 80% da turma?
    Que em uma turma de ensino médio da prova do ITA E IME?
    Estou na luta para entender e fazer alguma coisa contra isso é vou fazer. Por que ninguém tem direito de se achar o dono do mundo, o rei da verdade, o todo poderoso sobre a vida do aluno. Isso tem que acabar e o cooperativismo também.
    Odeio injustiça e falta de competência. Não sabe ser professor de verdade então vai ser garimpo, quem sabe aprende humildade com quem não tem vergonha e honra o que faz.

  7. Juliana pereira

    Tem professores que manda o aluno se virar, mas se ele não ensinar cada um a sua maneira,então não precisamos de escolas e sim de professores particulares em casa.

Deixe um comentário