Archives for : Tecnologia

Como acabar com sua empresa em 140 caracteres


Vi no Twitter esse post que me chamou a atenção. Fui até o link e vi que era uma apresentação de um TCC (muito bem montado, por sinal) sobre o tema, sobre como empresas utilizam mal seu perfil no Twitter. A pesquisa é da publicitária Carolina da Silva Lima (@CadyWitty) e apresenta os dados da pesquisa com mais de 1200 pessoas, desde o perfil demográfico até detalhes de preferências sobre perfis corporativos.

Para quem é usuário do Twitter a bastante tempo, essas noções apresentadas podem parecer muito óbvias, mas aparentemente não são para as empresas que nunca estiveram por este ambiente virtual. Vale a pena conferir, principalmente se você pensa em ter uma empresa com perfil no Twitter ou simplesmente se você é um usuário de twitter que segue ou quer seguir algum perfil corporativo.

A monografia pode ser lida aqui e aqui temos a apresentação do slides da pesquisa:

Quem observa os observadores: Mídia e Psicopatologia


Quem observa os observadores?Faz um tempo tenho observado algumas propagandas e como elas vendem seus produtos. É claro que é objetivo do publicitário ao produzir essas campanhas de vender a imagem do produto, mas acredito que muitas vezes eles pegam um pouco pesado. Eles acabam vendendo algo que não precisaria vender e criam necessidades desnecessárias.

O que mais me chama a atenção é o excesso de propagandas que vendem a felicidade. Sejamos sinceros: ninguém consegue vender felicidade porque, como diz o clichê ditado pupoplar, dinheiro não compra felicidade! Isso porque felicidade é um sentimento que temos ao alcançarmos objetivos de vida, sejam eles simples ou complexos. A felicidade que temos ao comprar vem do fato de a compra ser um objetivo que alcançamos. Mas felicidade mesmo não pode ser comprada ou vendida ou mensurada ou feito nada com ela além de ser sentida e vivida.

Continue Reading >>

Você conhece ou usa o Google Wave?


Você conhece ou usa o Google Wave?Eu conheço e uso o Google Wave. E uso até com bastante frequência, principalmente para organizar gravações de podcasts. De várias formas, ele acaba sendo mais prático do que email, principalmente quando criando trabalhos colaborativos. Mas, infelizmente ele foi muito mal vendido, como uma rede social, como um novo Twitter.

Hoje, utilizando essa ferramenta, um amigo vendo comentou, “você é a única pessoa no mundo que ainda usa isso,” para o qual respondi, “eu e meus amigos com quem coordeno trabalhos!” O Google Wave tem sim sua utilidade, basta você descobrir e ter o hábito de utilizar. Uma coisa chata para o usuário é ter que entrar sempre na página do Wave para ver se alguém mandou algo, como se faz com o email. E, como poucos utilizam o Wave, acaba ficando chato de entrar sempre.

Google Wave Add-on for FireFox

Continue Reading >>

Fale mais sobre isso no Formspring.me


Formspring

Não vou aqui explicar o que é esse serviço, nem detalhar pra que serve. Bom, vou ao menos falar pra que serve, né?

Basicamente, o Formspring.me tenta ser uma nova forma de “rede social” onde pessoas respondem perguntas ou de amigos ou de anônimos. Bem simples, não? Pensando nessa possibilidade, comecei a utilizá-lo para responder perguntas sobre psicologia e o que mais qualquer pessoa quiser saber.

Atualmente existem várias perguntas e respostas sobre psicologia e questões pessoais. Quem só tiver curiosidade, pode visitar minha página lá. E quem quiser fazer uma pergunta, por lá também pode fazê-lo! Assim que eu vejo uma nova pergunta, eu prontamente as respondo. Às vezes demora um pouco porque o serviço de aviso via email do Formspring é um pouco lento. Mas eu respondo a todas as perguntas!

Continue Reading >>

Quem observa os observadores? Uma Introdução


Who watches the WatchmenQuis Custodiet Ipso Custodet” é uma frase muito antiga do poeta romano Juvenal que quer dizer literalmente “Quem vai guardar aqueles que guardam” ou às vezes, “quem observa os observadores”. Essa frase, para quem assistiu ao filme Watchmen ou leu a graphic novel, sabe que essa frase aparece algumas vezes como forma de protesto contra os heróis mascarados. O engraçado é que em nenhum momento da história eles são chamados de Watchmen (ao menos no original do Alan Moore), mas esse nome vem justamente da referência a essa frase.

Mas, independente de Alan Moore, essa frase reflete um pouco em como pode ser nossa vida na internet. Quem possui vida online é constantemente observado. Ao mesmo tempo, também observa. Vale ver como funciona, por exemplo, o Orkut. Lá, cada vez que olhamos o perfil de alguém, o sistema avisa o observado quem o observou. Somos constantemente vigiados.

Continue Reading >>

Mitologia, tecnologia e tudo mais na Campus Party!


A semana ainda não acabou na Campus Party, mas muita coisa já aconteceu. Além de reencontrar e conhecer velhos amigos, consegui passear um pouco na cidade com o pessoal do Papo de Gordo e fazer um pouco de festa, além de conversar com amigos, me divertir e gravar podcast.

Eu vim para a Campus Party com o objetivo de alimentar e movimentar o Campus Metacast, uma iniciativa minha e de Eduardo Sales Filho para agregar em um só lugar todos os podcasts lançados durante esta semana na Campus Party. E acredito que até agora estamos fazendo um bom trabalho. Até quinta-feira no momento que estou escrevendo este post são 15 podcasts lançados no feed do Campus Metacast, e eu sei de fato que teremos muitos mais podcasts lançados até o final da Campus Party.

Continue Reading >>

Primeiro dia de Campus Party e amizades virturreais


Depois de muito tempo sem tocar no meu blog pessoal, finalmente estou de volta. E retorno em grande estilo: estou direto de São Paulo na Campus Party Brasil 2010, a maior festa de tecnologia, criatividade e inovação do mundo! Sim, segundo conversas de corredor fontes extra-oficiais, esta edição da Campus Party já é a maior do mundo, com mais inscritos do que qualquer outra versão.

E esta é uma ótima oportunidade para reencontrar velhos amigos podcasters e novos amigos podcasters. Novos em termos, porque muitos desses “novos” eu já conhecia online. E isso é a parte engraçada disso tudo. Você conhece a pessoa online, conversa com ela, conhece um pouco de seus hábitos e de repente a reconhece na sua frente.

Ou outra situação, muito comum com podcasts. Você ouve um podcaster, ele ouve você no seu, vocês se conhecem mas nunca efetivamente conversaram. E então se encontram pessoalmente nesta grande festa.

Realmente é uma experiência diferente. Na verdade, é um grande incentivo para que as pessoas tornem reais as amizades virtuais. Quebrar a barreira da distância virtual dos dados é muito bom. Um abraço, um aperto de mão ou algo do gênero vale muito mais do que emoticons nos chats do MSN ou Skype.

E para vocês terem uma ideia do que já aconteceu por aqui neste primeiro dia de Campus Party, vejam o que já fiz:

E estes são alguns dos amigos virtuais que tive o prazer de conhecer pessoalmente!

Podcasters na Campus Party

Podcasters na Campus Party

Resposta a: “O que é o troço podcast…”


A Mafê Mellancia fez um post um tanto quanto polêmico justificando porque ainda é válida a associação entre Podcast e Rádio. Se quiserem conferir o que ela escreveu, cliquem aqui.

Então eu começei a escrever uma resposta e vi que ela estava um tanto quanto grande e resolvi transformá-la em um post aqui. Então, vamos lá!

====

Sei que não faço podcast a tanto tempo quanto a Mafê ou quanto tantos daqueles que estão aqui… Mas desde que me conheço por gente, sei que sou muito crítico com as palavras, porque sei que uma palavra dita errada é muito mais difícil de corrigir do que uma pedra lançada… Então vamos lá!

Realmente, a analogia entre rádio e podcast é quase inevitável. Mas isso é só porque ambos se tratam de audio e nada mais. Podcast é audio. Rádio é audio. Ambos envolvem a transmissão (casting). Logo, pode-se associar ambas, certo?

Churrasco é comida. Salada é comida. Ambas se compram em restaurantes. Logo, pode-se associar ambas? Bem, os vegetarianos vão discordar veementemente e os mais radicais vão dizer que carne não é comida, é crime. E os carnívoros também vão discordar, dizendo que só salada não alimenta nada e que é necessário as proteínas encontradas somente nas carnes, logo só salada não é comida.

O problema dessas associações é a supersimplificação dos objetos associados e comparados. E o problema nesta associação entre rádio e podcast começa quando analisamos o ponto em comum entre ambos: o audio. Podcast é audio? Não! Podcast é um meio pelo qual arquivos de mídia são transmitidos! Uma mídia em podcast pode ser em audio? Pode, como também pode ser em vídeo, conhecido como videocast ou “podcast de vídeo”, como também pode ser um arquivo PDF ou fotos em JPEG, já que o formato da mídia não importa, o importante é o meio pelo qual é transmitido…

A Mafê já disse lá em cima: “Podcast é a forma que o seu áudio é distribuído e recebido”, e eu ampliaria que não é só pra audio, mas pra qualquer mídia. O iTunes recebe arquivos em audio e vídeo, mas imagino que outros coletores possam receber outras formas de mídia também. E essa forma é através de uma assinatura de um feed.

Oras, se podcast não é o arquivo de audio, mas a forma como ele é recebido, vale ainda a associação entre podcast e rádio? A forma que ambos são recebidos é completamente diferente! Podcast é via podcast, rádio é via ondas de rádio. Um é via internet e coletado num coletor de feeds, outros é via ondas mecânicas e coletado num aparelho de rádio. Um requer assinatura e dá ao ouvinte o poder de ouvir quando quiser, outro basta ligar o aparelho, sem assinar e só sintonizar e deixa o ouvinte passivo pra escolher as músicas e programas a ouvir e quando ouvi-los. Eu sinceramente acho que as diferenças entre podcast e rádio são maiores do que as semelhanças…

Já que a gente define podcast pela forma como é transmitida, por que não associar podcast com algo que é transmitido da mesma forma: uma assinatura. Assina-se o feed para ouvir podcast. Então, podemos associar podcast a uma revista que você assina! Quando me perguntam o que é podcast eu digo que é como uma revista em audio pela internet que você faz uma assinatura e recebe em casa sempre que é lançado sem precisar se preocupar com isso. Então eu ensino como a pessoa pode assinar um podcast. E acreditem: não é difícil usar essa associação!

Eu prefiro associar o podcast à assinatura de uma revista do que associar à transmissão de rádio. E isso nos dá ainda a possibilidade de desassociar o podcast somente ao audio e nos permite abrir à definição para qualquer arquivo de mídia! Se pegarmos as definições de dicionário ou da wikipedia sobre podcast, todos vão se referir a arquivos de mídia e não somente de audio…

E realmente, se queremos expandir o conceito de podcast, se queremos amadurecer enquanto podcasters, então acho que devemos também deixar de associar essa mídia a outras que não vão ajudar nesse amadurecimento. Existem outros caminhos melhores e cabe a nós tentarmos descobrir qual é!

E essa é a minha opinião. My 2 cents…

Como recuperar as músicas perdidas no seu iPod


Depois de escrever sobre como funcionava o iPod e descrever o que descobri quando tive erros no meu iPod classic G7 de 8oGb, recebi vários pedidos de pessoas que tiveram os mesmos problemas. Então comecei a trabalhar num texto este que estão lendo) sobre como recuperar esses dados perdidos.

Antes de tudo, é necessário perceber os sintomas, porque esta solução que vou apresentar aqui só vai funcionar para este caso específico. Muitas vezes pode acontecer que o seu iTunes abra e não reconheça o banco de dados porque está corrompido por algum motivo. Como aconteceu comigo da primeira vez: estava usando normalmente meu iPod e logo em seguida, liguei-o ao computador e acessei o iTunes. Quando o programa abriu, ele não reconheceu o iPod e disse que ele estava corrompido, precisando ser formatado. Naquele momento eu tinha aproximadamente uns 20Gb de músicas e filmes na memória do iPod e menos de 10 Gb livres no meu computador.

Uma coisa que aprendi com isso: o iTunes parte do pressuposto que você guarda todas as músicas no seu HD e na sua biblioteca do iTunes. Mas acontece que minha biblioteca de música era o iPod! Ele ainda funcionava como HD externo, e tinha mais ou menos uns 15Gb de backup que conseguia acessar, então o HD ainda estava funcionando. Procurei na internet e só encontrei alguns fóruns onde pessoas descreviam o mesmo problema onde a solução era formatar o iPod. Só que isso ia representar dois problemas pra mim: eu ia perder minha biblioteca de músicas e ia perder meus backups que estavam lá também.

Fucei um pouco mais e achei um artigo em inglês explicando como resolver esse problema e descobri que tudo não se passava de um problema no banco de dados do iPod! então, agora, vou explicar como recuperar o banco de dados.

A primeira coisa que você tem que fazer é liberar seu Explorer para ver arquivos invisíveis no seu iPod. Depois disso, você deve fechar o iTunes (caso ele esteja aberto). O próximo passo deve ser feito com o iTunes fechado. Em seguida, você deve encontrar o caminho /Volumes » iPod_name » iPod_Control » iTunes no seu iPod e lá você vai encontrar o arquivo iTunesDB corrompido, que deve então ser deletado. Logo em seguida, você deve abrir seu iTunes.

Ao fazer isso, ele abrirá normalmente e mostrará que a biblioteca do seu iPod está vazia. Pelo menos ele não mostrará mais o aviso de erro pedindo pra você formatar o iPod e perder todos os dados lá. Seu próximo passo é refazer esse banco de dados. Essa é a parte trabalhosa do seu trabalho, porque você vai encontrar nada menos que 50 pastas diferentes com suas músicas. Se você então procurar pelo caminho /Volumes » iPod_name » iPod_Control » Music as pastas F00 a F49, você deve adicionar todas as músicas de cada uma dessas pastas. Lembre-se que você deve adicionar os arquivos/ficheiros e não pastas. Isso é um pouco trabalhoso, eu admito, mas é a única forma que conheço para fazer isso. Você deve arrastar os arquivos do seu Explorer direto para seu iPod no iTunes.

Uma coisa que você deve atentar é que provavelmente você estará mexendo com uma quantidade muito grande de arquivos (dos vários Gbs de músicas) num sistema relativamente frágil que é do iPod, é capaz que ele esquente muito caso você tente fazer as coisas muito rápido. Eu sugiro que você faça mais devagar e talvez dar uma pausa depois da 20ª pasta.

Pronto! Todo esse processo reconstruiu o banco de dados do seu iTunes. Eu sugiro que, logo que você acabe esse processo, desabilite no Explorer o acesso aos arquivos e pastas invisíveis, pois descobri depois que mexer neles enquanto o iTunes está ligado pode danificar novamente o banco de dados. Tomando esses cuidados, você poderá muito bem voltar a usufruir dos prazeres que só o seu iPod pode dar a você.

Ano novo no Brasil e novos projetos na Internet tupiniquim


Todos sabem que no Brasil, o ano só começa depois do carnaval. Hoje termina oficialmente o carnaval, então entramos na contagem regressiva para que o ano começe a partir da próxima segunda-feira.

screenshotE gostaria de aproveitar esta oportunidade para anunciar dois novos projetos na internet brasileira este ano. Um dele é um novo blog e outro é um novo podcast.

O novo blog é da Federação dos Planetas Unidos, fã-clube de ficção-científica, ciência e tecnologia construído por fãs da série Jornada nas Estrelas. O fã-clube em si é cediado em Curitiba, mas a idéia do blog é para servir como ponto de encontro para fãs de ficção-científica em geral. Ele já começou com o anúncio da TrekCon a ser realizada perto da estréia do novo filme de Jornada nas Estrelas. Se você gosta de Star Trek ou é fã de ficção-científica, esse é um blog interessante para acompanhar!

O novo podcast é mais um projeto do meu amigo Eduardo Moreira, do antigo podcast de Eduardo Moreira. Eu falei aqui que a execução de seu antigo podcast pessoal iria dar muitos frutos. Pois bem, o M2List é mais um podcast fruto dessa morte! Ele é pra ser um projeto musical, uma lista de músicas brevemente comentadas. E já no lançamento do episódio piloto poderemos ver que esse podcast promete, e muito! Eu, como sou um grande fã de música e de podcasts, encontro nesse programa uma ótima forma de aliar os dois! Já sentia saudades de ouvir música no meu iPod, mas sempre que tenho tempo acabo ouvindo algum podcast. Agora não tenho mais esse problema! Parabéns, Moreira, pelo seu novo projeto e que ele traga muitos mais frutos! (E aguardem que logo logo eu faço uma participação lá)

E pra quem quer conferir, vou colocar aqui o audio do episódio piloto do podcast. É só clicar no player pra ouvir e descobrir mais um ótimo podcast!


E visitem o blog do pocast, inclusive para assinar o feed no seu iTunes!