Archives for : Tecnologia

Blogueiros de Curitiba se encontram em Shopping


Pois é, o #ebc saiu no jornal! Tudo bem que é um jornal da internet, mas nada mais apropriado para falar de blogueiros do que usar a internet, certo? Pois bem. Basicamente a matéria fala sobre o Encontro de Blogueiros de Curitiba, realizado toda sexta-feira no Shopping Estação, no centro de Curitiba. Se quiserem ler a matéria, é só clicar aqui.

Crônica de uma Morte Anunciada


Já faz algum tempo que o nosso amigo Eduardo Moreira vem anunciando a morte de seu podcast, o Podcast de Eduardo Moreira. Diz ele que ele iria suicidar seu podcast e anunciou a data: 31 de dezembro de 2008. E ele cumpriu o prometido. Anunciou a morte de seu podcast, mas não para parar com o podcasting, mas sim para iniciar DOIS novos projetos. Ele mata um podast e cria dois podcasts. Mais sobre isso, vocês podem ler no próprio Blog de Eduardo Moreira ou em seu Drops.

O que eu gostaria de comentar aqui é sobre o anúncio da morte do podcast. São poucas as mortes anunciadas. Uma delas são as mortes feitas através da Pena Capital em países que se utilizam desse sistema bárbaro de punição que não serve pra nada. Outras são as cartas de suicídio que descrevem como e quando o suicida irá ser seu próprio algoz.

Mas é interessante o anúncio de uma morte e a consequência dela. Geralmente, um suicídio não é aceito. Fato. A medicina trata a ideação suicida (a idéia de suicídio ou de morte) como um sintoma clínico da depressão, por exemplo, sintoma tal que deve ser tratado. Tive pacientes que foram internados por psiquiatras por falarem de idéias de morte e suicídio com eles. A sociologia trata o suicídio como algo epidemiológico. O primeiro estudo sociológico sobre suicídio foi feito por Durkheim onde ele mostra que a grande quantidade de suicídios faz com que ele seja um problema epidemiológico e sociológico também. A religião trata o suicídio como um pecado mortal, como algo que não podemos fazer, pois Deus nos deu a vida e nós não podemos tirá-la. Podemos inclusive falar no aspecto jurídico, pois todos temos o direito à vida e não direito sobre a vida.

É muito difícil falarmos sobre o suicídio ou aceitarmos ele. Mas uma coisa é certa: as coisas morrem. Todos morreremos. E por que não podemos falar ou pensar sobre a nossa morte? Eduardo Moreira fez isso. E ao fazê-lo, reiterou que dia 31 de dezembro de 2008 seria o último dia que poderíamos fazer a piada que ele é “Eduardo Moreira, do Blog de Eduardo Moreira, do Podcast de Eduardo Moreira, do Gengibre de Eduardo Moreira, da casa de Eduardo Moreira”… E agora ele pode estar certo. Não mais poderemos fazer essa piada. MAS, poderemos fazer outras piadas! Como dizer que “Ele é Eduardo Moreira, do Eduardomoreira.net, do finaldo Podcast de Eduardo Moreira, do Antigo Gengibre de Eduardo Moreira e agora simplesmente Drops, ainda da casa de Eduardo Moreira”, etc…

hehehe

O tempo passa, as mortes vêm para trazer mudanças (no caso do Eduardo Moreira, morreu um podcast para nascer dois, o FeedbackNews Podcast e o TargetHD), mas algumas coisas continuam para sempre. Eduardo Moreira, você sempre será lembrado por quem você é, foi e será! Seu nome será lembrado por muito tempo! E boa sorte nos seus (e nossos) novos projetos!

In Vino Veritas


Uma antiga frase latina que quer dizer, “no vinho, a verdade”, ou seja, que através do vinho vem a verdade. Isso é muito comum entre aqueles que costumam beber um pouco a mais e percebem que ficam mais ‘sinceros’ com cada taça ou copo que bebem. Mas isso não serve só para o vinho, mas para qualquer bebida. O álcool tem esse qualidade. A gente costuma dizer na faculdade de psicologia que o Super-Ego é solúvel em álcool.

Neste caso, não é preciso beber ou dissolver o super-ego em álcool pra saber de uma verdade: 2008 foi um excelente ano para mim, não só pessoalmente mas também enquanto blogueiro e podcaster. E a prova disso está no reconhecimento dos colegas!

Quando comecei com o NerdExpress, basicamente influenciado pelo NerdCast, não imaginava encontrar um universo inteiro de outros podcasters. Aparentemente, esses outros podcasters acharam que o NerdExpress era um podcast de qualidade e nos convidaram para paticipar do segundo Jabácast organizado pelo pessoal do Filecast (uma das melhores coisas que aconteceu na podosfera em 2008). Nesse programa pude encontrar e conhecer ilustres podcasters do Filecast, do Papo de Gordo, do Das Antigas, do Eduardo Moreira Podcast e o pessoal do Depois das 11 Podcast.

Depois desse JabáCast, as portas se abriram e eu conheci muito mais gente! E as amizades na podosfera se estreitaram e alguns cross-overs começaram a acontecer. No NerdExpress, participamos já com o Eduardo Moreira e com o Vanassi do Depois das 11. Mas, realmente, o mundo dos podcasters é um tanto quanto ingrato. No Brasil há centenas de podcasts, mas só alguns são reconhecidos e recebem seus merecidos créditos. Outros tantos são ouvidos por poucos ou quase não são ouvidos.

E foi por isso que o pessoal do Depois das 11 quis reconhecer o trabalho dos podcasters e enviou a vários deles uma belíssima garrafa de vinho da serra gaúcha, um Marcus James Cabernet Sauvignon. Eu recebi minha garrafa ontem, quando saía de casa para comemorar o aniversário de um amigo, então só pude abrir o pacote hoje de manhã.

Foi uma belíssima surpresa, com uma mensagem melhor ainda!

30122008184“Fala Pablo!

Surpreso com o pacote? Talvez não hehehe

Essa é uma pequena lembrança que nós do Depois das 11 Podcast estamos enviando para você em agradecimento ao seu trabalho como podcaster, que nos divertiu e inspirou durante o ano de 2008.

Sabemos que a vida de podcaster é apaixonante, mas árdua.
Ser podcaster não é para qualquer um, pois trabalhar pra caramba, sem (algumas vezes) receber nem um obrigado em troca, pode ser frustrante. Ainda bem que somos persistentes, hehehe.

Por isso lhe enviamos esse humilde mimo.
Esperamos que este belo vinho gaúcho lhe dê tanta alegria ao bebê-lo, quanto temos ouvindo seu programa. Muita paz, saúde e felicidades em 2009! Que neste ano que começa, NerdExpress cresça cada vez mais.
Um forte abraço.

Equipe Depoisdas11.com

Este vinho recebido trouxe consigo essa verdade: 2008 foi um excelente ano para todos nós, com todos os problemas e crises, mas conseguimos construir belíssimas amizades. Conversamos sempre que possível e nos ajudamos promovendo o trabalho um do outro. In vino veritas, no vinho, a verdade: essa amizade ainda vai longe! E que esse vinho seja só o primeiro sinal disso. E quem venham muitos mais podcasts e muitos mais vinhos! E que, como o vinho, estas amizades só melhorem com o tempo…

Queria aqui agradecer de coração ao Vanassi e à todo pessoal do Depois das 11 pela lembrança. Tenham certeza que recebi com o mesmo carinho que foi mandado! E deixo aqui já o compromisso de retribuir com algo típico daqui do Paraná: uma belíssima cachaça de banana de Morretes que beberemos na Campus Party 2009! Eu não gosto de cachaça, mas essa é muito boa! É a única que eu gosto, então imagino que meus novos amigos podcasters irão gostar também.

Novamente, muito obrigado pela lembrança e até a Campus Party!

30122008192

Como funciona o seu iPod


Eu já perdi as músicas de meu iPod. Aconteceu comigo não uma, mas três vezes e hoje aconteceu com um amigo meu. Ele me perguntou no Twitter e eu não sabia explicar em 140 caractéres porque o processo é meio longo. E quando aconteceu, foi uma ótima oportunidade pra fuçar o gadget e descobrir como ele funciona.

Quando isso aconteceu comigo, eu entrei em pânico. Se não me engano, aconteceu quando eu desliguei meu iPod Classic 7G de 80Gb sem ejetá-lo antes. Não imaginei que ia dar algum problema, mas quando liguei o iPod, vi que não havia nenhuma música nele. Nenhuma das mais de 4000 músicas e quase 10Gb estavam lá. Simplesmente sumiram!

O iTunes tem um sistema muito interessante pra você lidar com isso, que é sincronizar sua biblioteca do iTunes com seu iPod. Porém, no meu caso, isso não ia servir. Eu coloco as músicas no iPod, faço backup delas em CD ou DVD e depois apago do meu HD para ter mais espaço pra mais músicas. Então, se eu fosse manualmente pegar quase 40 CDs de MP3 que eu tenho pra colocar tudo de novo no PC pra depois colocar na biblioteca do iTunes e depois colocar no meu iPod, eu ia ficar louco!

Então, eu liguei meu iPod no PC pra ver se encontrava alguma coisa e o que encontrei me deixou intrigado: parece que os dados em si não haviam sido perdidos, só a lista de músicas, o banco de dados parecia haver se corrompido. Liguei novamente o iTunes e confirmei isso. No iTunes, ele mostra em cores diferentes os diferentes dados armazenados no seu iPod, que podem ser música, vídeos ou dados.

No meu caso, eu tinha quase 10Gb de músicas, menos de 1Gb de vídeos e uns 10Gb de dados (basicamente backup de documentos e filmes) e ainda tinha uns 50 a 60 Gb livre. Antes desse problema acontecer, eu via sempre no iTunes as diferentes cores, mas depois disso, aparecia uma barra com mais de 20Gb de dados. Isso me deixou intrigado e pensando se as músicas ainda estariam lá.

Entrei na internet e encontrei alguns fóruns com pessoas dizendo que isso acontecera com elas e que o que elas fizeram foi reformatar o iPod e recolocar as músicas lá. Mas eu não queria fazer isso e sabia que tinha que haver alguém que já passara por isso e soubesse como resolver! Então eu procurei mais. Não me lembro agora as palavras chave que usei, mas eu demorei pra encontrar. Mas quando encontrei, vi que era a minha salvação.

A solução que o blogueiro americano encontrou era bem complicada, mas aparentemente resolvia o problema sem que me desse trabalho com backups. Mas antes, vamos entender um pouco a dinâmica do iPod (que eu aprendi após fuçar no aparelho).

O iPod basicamente é um HD (desses de notebook) acoplado a um visor e um botão de navegação sensível ao toque com um programa de leitura e execução de arquivos de mídia. Seria como você ligar um Winamp (ou o iTunes, no caso) num pendrive ou num HD externo que tenha um touchpad. Mas ele não funciona como os outros players de MP3, que você simplesmente armazena as músicas e ele reconhece a extensão e toca. O iPod lê a partir de uma biblioteca ou banco de dados criado pelo iTunes no seu computador. E é aí que está o segredo.

Pra você poder ouvir as músicas no seu iPod, você precisa que as músicas sejam colocadas nele através do iTunes (dizem que existem outros programas que fazem isso, mas eu não conheço e nunca tentei). Por isso, a Apple recomenda que você sincronize seu iPod com o iTunes. Dessa forma, sempre que você modificar sua biblioteca do iTunes (seja acrescentando novas músicas ou apagando antigas que você não gosta mais), seu iPod irá ter as mesmas músicas sem que você tenha trabalho pra fazer isso manualmente. Assim, seu iPod vai ser o seu iTunes portátil.

Pessoalmente, eu não gosto da opção de sincronizar o iPod, principalmente se ele for um Classic com mais de 40Gb. Sincronizar um aparelho desses com o iTunes é você perder todo o sentido de ter um aparelho com grande capacidade de armazenamento. No meu caso, eu tenho um HD de 80Gb e todas as músicas que eu coloco no iPod, eu deleto da máquina e ouço só no iPod. Inclusive, se eu quero ouvir no PC enquanto trabalho ou em qualquer outro momento, eu simplesmente conecto no PC e ouço via iTunes.

E por que tem que ser via iTunes? Porque quando você abre seu iPod pelo Explorer, por exemplo, você não encontra as músicas lá! É uma forma que a Apple encontrou para proteger o conteúdo do iPod. Você pode colocar as músicas lá usando o iTunes, mas as músicas não podem ser copiadas de lá para nenhum outro lugar. Mas mesmo assim, elas estão lá. Como o iPod faz isso?

Basicamente, quando você passa as músicas do seu iTunes pro iPod, o programa copia os arquivos de música, sejam eles de MP3 ou M4A ou qualquer outro formato aceito (como MP4 para vídeos) aleatoriamente em 50 pastas diferentes. Ao fazer isso, ele cria um banco de dados com acesso via iTunes ou iPod. Assim, esses programas só precisam acessar o banco de dados pra saber quais músicas estão lá e quando elas forem executadas, só então o HD irá funcionar para tocá-las no endereço correspondente (que está no banco de dados). É um sistema bastante inteligente, que poupa a vida útil do HD. Mas traz em si o problema que se o banco de dados for corrompido por qualquer motivo, você não consegue mais acessar as músicas, que ficarão perdidas.

Nessa minha aventura, e com a dica daquele blog americano (que não consegui encontrar novamente), descobri isso. E descobri que a Apple não quer que você saiba disso. Como? Se você abrir seu iPod pelo Explorer, você não vai encontrar nenhuma dessas 50 pastas que mensionei! Mas onde estão? Escondidas. Sim, escondidas. Talvez a Apple tenha feito isso pra proteger o conteúdo do iPod contra ataques ou pra proteger os direitos autorais dos arquivos comprados via Apple Store.

E tudo que o iPod faz, ele faz via um banco de dados de músicas e filmes e podcasts e todos os outros arquivos que têm na memória do aparelho.  E como a única forma de você editar ou alterar o banco de dados é via iTunes, ele é um gadget relativamente seguro. Mas, se acontecer alguma coisa, como você desconectar o iPod sem ejetar o gadget, o banco de dados pode ser danificado, e você não mais encontrará o seus arquivos no iPod. Mas existem formas, como eu mesmo encontrei, de contornar isso sem que você precise formatar o iPod e colocar todas as músicas de novo no aparelho. Mas isso fica para um próximo post!

Espero que tenha sido útil. Se for, por favor comentem. Se não for, comentem do mesmo jeito!

😀

O que busca o leitor de um blog?


Comecei um blog pessoal com coisas pessoais e enrolações pessoais. Não espero ter muitos leitores nem tanta gente que se interesse pelo que vou falar neste espaço. Porém, mesmo assim, entretanto, todavia, eu posto bastante aqui, principalmente os episódios do Projeto Ouça Bem, algum material inédito e alguns textos antigos meus que quero recuperar. Com isso, eu consegui uns três posts novos por dia. Não quero lotar isto com muito material, até mesmo porque quero que os leitores do meu blog leiam e participem dele e não só se entupam de informação.

Pois bem. Chegou o natal e com ele as festas e as obrigações familiares e sociais. Saco. E com isso, menos tempo pra me dedicar não só ao Então, Veja Bem… mas também pra me dedicar ao Nerd Curitibano. Só hoje consegui sentar pra fazer algumas coisas, mas mesmo assim, ainda tenho MUITO o que fazer, como editar o NerdExpress que sai amanhã e terminar de editar o episódio de hoje do Projeto Ouça Bem (se bem que essa edição eu posso fazer no ônibus, à caminho do #ebc). E só hoje consegui entrar pra atualizar o meu blog. E quando abri, o que vi? O número de visitas caiu assustadoramente! De 60 visitas por dia que tinha, passei a ter 5. Medo. Só que no Nerd Curitibano, isso não acontece tanto. E isso que a gente posta menos coisas por dia lá. E daí eu fico pensando: o que busca o leitor de um blog?

Sei que grande parte das visitas que recebo aqui vêm das twitadas que eu dou. Ainda quero receber mais visitas de outros lugares, de blogs amigos, do PodPods (por causa do POB), do BlogBlogs e de qualquer outro lugar, inclusive do Google. Mas é engraçado que, quando eu não twitto nada, não recebo visistas. Das duas, uma: ou meu blog é um saco e ninguém gosta, ou as pessoas clicam nos links por mera curiosidade. Se for o segundo motivo, talvez a escolha dos títulos seja importante. Mas, será que é só curiosidade que move o leitor?

Se eu recebesse comentário dos leitores, eu saberia o que eles buscam, do que eles gostam, etc. Mas não recebo. Então eu me pergunto: o que os leitores buscam em um blog? Será que as pessoas entram por entrar, clicam em qualquer coisa e pronto? Ou será que as pessoas procuram coisas aleatórias e não buscam novas atualizações? Ou será que as pessoas entram em um blog pessoal e só procuram as novidades e não se preocupam em saber o que também já foi escrito antes?

Eu sinceramente não sei. Existem algumas pesquisas estatísticas e quantitativas sobre quem é o leitor de blog. Mas eu queria uma informação mais qualitativa, comentários sobre o que o leitor quer. Sei que não vai adiantar pedir comentários, porque se eu receber, vão ser muito poucos e com pouca informação. Então provavelmente este será mais um post aleatório, talvez lido e não comentado… ou será que estou errado?

ADD Especial de Natal


Estava eu passeando pelo Twitter quando vejo o anúncio do ADD Especial de Natal, do Maestro Billy, presidente da ABPOD (Associação Brasileira de Podcast). Então, como sempre, resolvi dar uma olhada no set list e gostei do que vi! Tem nomes como Elvis Presley, Frank Sinatra e Eagle! E estou ouvindo agora pela terceira vez, já que a seleção foi excelente! E como diz o próprio Maestro Billy, a seleção é bem melhor do que aqueles CDs que as tias velhas trazem pra tocar na ceia de natal. Ele inclusive deixou as vinhetas do ADD mais baixas justamente pra que você possa tocar na ceia de natal sem problemas…

Eu tomei a liberdade de colocar o player desse episódio aqui no Então, Veja Bem… Espero que o Maestro Billy Não se encomode com isso! É que eu realmente gostei! =D

Se vocês quiserem ver o set list brilhantemente montado, visitem o Blog do Maestro Billy.

Nova cara do Blog de Eduardo Moreira


Depois do anúncio do “suicídio” do Podcast de Eduardo Moreira, feito no Gengibre de Eduardo Moreira, Eduardo Moreira, autor do Blog de Eduardo Moreira, mostrou a cara nova de seu blog hoje. Ficou diferente, mais “clean”…Todas as antigas informações do blog continuam lá e ele continua atualizando com informações. E ele ainda prometeu pelo menos mais um podcast ainda do Podcast de Eduardo Moreira.

Eu fico curioso em saber como vão ser os projetos do Eduardo Moreira agora, como vai ser o novo Podcast de Eduardo Moreira, se ele vai continuar com o Gengibre de Eduardo Moreira ou o que ele vai resolver fazer! Mas enfim… Só passei por aqui pra registrar essa mudança. Como minha memória não é tão boa pra datas e nomes, se eu não fizer isso, eu me esqueço do que aconteceu!

Comentário ao Eddie Silva


Eddie Silva, criador do Prêmio Podcast e grande difusor dos podcasts, comecou uma polêmica em seu blog sobre o amadurecimento dos podcasters e a possibilidade dos podcasters em ganhar dinheiro. Eu tenho a minha opinião e comentei lá. Mas mesmo assim, quero deixar aqui registrado para a posteridade o que eu acho disso tudo:

Salve, Eddie!

Bem… eu já passei minha opinião pessoal pra vc via Twitter, mas mesmo assim, gostaria de expor um pouco mais dela aqui, já que tenho mais de 140 caracteres pra isso 😉

Eu sou a favor dos podcasts comerciais. Fato. Todos os meus colaboradores do Nerd Curitibano e do NerdExpress sabem disso e não escondo de ninguém. Tento fazer tanto um blog quanto um podcast de qualidade justamente para conseguir captar leitores e possíveis clientes. Mas nada disso importa se o mercado não está preparado pra esta mídia.
Recentemente, junto ao PodCon aqui em Curitiba, aconteceu o Fórum de Mídias Digitais Sociais. E lá eu pude ver que a realidade das mídias digiais sociais, os blogs, as redes de relacionamento e, por que não, os podcasts, ainda estão muito imaturos nos olhos das grandes corporações. Vi diversos cases que ilustram isso, tanto de empresas que souberam usar a Web2.0 quanto daquelas que se apavoraram e simplesmente retiraram campanhas caríssimas devido à má divulgação nos blogs.

Como que, aqui no Brasil, podemos mostrar justamente a esses clientes que não conhecem internet, não sabem o que são podcasts, que pensam que blogs são coisas de criança, que é vantajoso divulgar em podcasts? Recentemente no Jornal da Globo saiu uma reportagem cuja chamada era, “Você sabe o que é um blogueiro? Saiba como ganhar dinheiro sem sair de casa”… e na matéria basicamente mostrou algumas pessoas (adolescentes quase) que ganham uns R$100 a R$300 por mês com seus blogs pra gastar nas baladas e o Interney e o exemplo da Pólvora! Como assim, “ganhar dinheiro sem sair de casa” e mostrar a Pólvora? E o pior: ignorar os verdadeiros probloggers como o Bobagento pra mostrar jovens que ganham suas mesadas pelos blogs? E o pior foi a chamada! “Você sabe o que é um blogueiro?” Só faltava completarem com frases (q foram jogadas no twitter) como “É de comer?” ou “Olha, mãe, um blogueiro! Posso tocar?” E tudo isso pelo simples fato que na nova novela da globo haverá um personagem que é blogueiro. Como podemos, com um mercado desses, mostrar que uma mídia como o podcast funciona e é um canal viável de publicidade?

Eu realmente admiro sua iniciativa e sua vontade de montar essa agência pra podcasters. E saiba que, se você realmente abrir, eu vou ser um dos seus primeiros clientes! Eu vejo um futuro muito promissor nisso, mas tem certas horas que eu tenho que ser realista: por mais que os podcasters venham a amadurecer, será que o mercado brasileiro está pronto pra eles? Eu quero pensar que em um futuro muito breve poderemos chegar nesse ponto. De verdade. Mas realmente não sei se o problema está na maturidade dos podcasters brasileiros ou com a maturidade do mercado brasileiro.

O Vanassi tem razão em um ponto: tem gente que faz podcast por diversão e a internet propicia isso. Tem gente que faz blog por diversão e tem gente que vive disso, como o Interney, o Bobagento, o Jurandir do Rapadura e o Jovem Nerd, só pra citar alguns. O bom da internet é que ele é um espaço que possibilita tudo isso. Eu vejo que em breve teremos os podcasts profissionais e os não profissionais. Se bem que já existem alguns podcasts profissionais…

Mas, realmente precisamos amadurecer, não só o mercado mas também nós podcasters. Sinto que, nesse sentido, ainda somos crianças querendo brincar de podcast, como quando eu era criança e brincava de fazer programas de rádio com o toca-fitas de casa. Mas, da mesma forma, não adianta você pedir pra essa criança que ela transforme essa brincadeira num negócio de sucesso, que administre, além das gravações e edições e postagens nos blogs, os anúncios, patrocinadores e toda a administração financeira que isso vai acarretar! É um belo de um desafio e sinto que, agora, só precisamos de pessoas como você, que sabem como fazer isso, que tomem a iniciativa! Tenho que admitir que eu estou tentando mesmo. Tento fazer uma periodicidade no meu podcast, tento criar uma identidade nele, tento respeitar os meus ouvintes sempre comentando seus emails e comentários, enfim. Mas mesmo assim, tenho que admitir que estou só engatinhando. Descobri o que são podcasts apenas em 2008 e já consegui ver todo o potencial dessa midia! Só precisamos descobrir como…

E repito: se você for montar essa agência, fique tranquilo que eu serei um dos primeiros a querer participar disso com você!

Parabéns pela iniciativa e pela coragem em divulgar tudo isso! Abraços!

Pablo.