Archives for : podcast

Você conhece ou usa o Google Wave?

Você conhece ou usa o Google Wave?Eu conheço e uso o Google Wave. E uso até com bastante frequência, principalmente para organizar gravações de podcasts. De várias formas, ele acaba sendo mais prático do que email, principalmente quando criando trabalhos colaborativos. Mas, infelizmente ele foi muito mal vendido, como uma rede social, como um novo Twitter.

Hoje, utilizando essa ferramenta, um amigo vendo comentou, “você é a única pessoa no mundo que ainda usa isso,” para o qual respondi, “eu e meus amigos com quem coordeno trabalhos!” O Google Wave tem sim sua utilidade, basta você descobrir e ter o hábito de utilizar. Uma coisa chata para o usuário é ter que entrar sempre na página do Wave para ver se alguém mandou algo, como se faz com o email. E, como poucos utilizam o Wave, acaba ficando chato de entrar sempre.

Google Wave Add-on for FireFox

Continue Reading >>

Mitologia, tecnologia e tudo mais na Campus Party!

A semana ainda não acabou na Campus Party, mas muita coisa já aconteceu. Além de reencontrar e conhecer velhos amigos, consegui passear um pouco na cidade com o pessoal do Papo de Gordo e fazer um pouco de festa, além de conversar com amigos, me divertir e gravar podcast.

Eu vim para a Campus Party com o objetivo de alimentar e movimentar o Campus Metacast, uma iniciativa minha e de Eduardo Sales Filho para agregar em um só lugar todos os podcasts lançados durante esta semana na Campus Party. E acredito que até agora estamos fazendo um bom trabalho. Até quinta-feira no momento que estou escrevendo este post são 15 podcasts lançados no feed do Campus Metacast, e eu sei de fato que teremos muitos mais podcasts lançados até o final da Campus Party.

Continue Reading >>

Primeiro dia de Campus Party e amizades virturreais

Depois de muito tempo sem tocar no meu blog pessoal, finalmente estou de volta. E retorno em grande estilo: estou direto de São Paulo na Campus Party Brasil 2010, a maior festa de tecnologia, criatividade e inovação do mundo! Sim, segundo conversas de corredor fontes extra-oficiais, esta edição da Campus Party já é a maior do mundo, com mais inscritos do que qualquer outra versão.

E esta é uma ótima oportunidade para reencontrar velhos amigos podcasters e novos amigos podcasters. Novos em termos, porque muitos desses “novos” eu já conhecia online. E isso é a parte engraçada disso tudo. Você conhece a pessoa online, conversa com ela, conhece um pouco de seus hábitos e de repente a reconhece na sua frente.

Ou outra situação, muito comum com podcasts. Você ouve um podcaster, ele ouve você no seu, vocês se conhecem mas nunca efetivamente conversaram. E então se encontram pessoalmente nesta grande festa.

Realmente é uma experiência diferente. Na verdade, é um grande incentivo para que as pessoas tornem reais as amizades virtuais. Quebrar a barreira da distância virtual dos dados é muito bom. Um abraço, um aperto de mão ou algo do gênero vale muito mais do que emoticons nos chats do MSN ou Skype.

E para vocês terem uma ideia do que já aconteceu por aqui neste primeiro dia de Campus Party, vejam o que já fiz:

E estes são alguns dos amigos virtuais que tive o prazer de conhecer pessoalmente!

Podcasters na Campus Party

Podcasters na Campus Party

Resposta a: “O que é o troço podcast…”

A Mafê Mellancia fez um post um tanto quanto polêmico justificando porque ainda é válida a associação entre Podcast e Rádio. Se quiserem conferir o que ela escreveu, cliquem aqui.

Então eu começei a escrever uma resposta e vi que ela estava um tanto quanto grande e resolvi transformá-la em um post aqui. Então, vamos lá!

====

Sei que não faço podcast a tanto tempo quanto a Mafê ou quanto tantos daqueles que estão aqui… Mas desde que me conheço por gente, sei que sou muito crítico com as palavras, porque sei que uma palavra dita errada é muito mais difícil de corrigir do que uma pedra lançada… Então vamos lá!

Realmente, a analogia entre rádio e podcast é quase inevitável. Mas isso é só porque ambos se tratam de audio e nada mais. Podcast é audio. Rádio é audio. Ambos envolvem a transmissão (casting). Logo, pode-se associar ambas, certo?

Churrasco é comida. Salada é comida. Ambas se compram em restaurantes. Logo, pode-se associar ambas? Bem, os vegetarianos vão discordar veementemente e os mais radicais vão dizer que carne não é comida, é crime. E os carnívoros também vão discordar, dizendo que só salada não alimenta nada e que é necessário as proteínas encontradas somente nas carnes, logo só salada não é comida.

O problema dessas associações é a supersimplificação dos objetos associados e comparados. E o problema nesta associação entre rádio e podcast começa quando analisamos o ponto em comum entre ambos: o audio. Podcast é audio? Não! Podcast é um meio pelo qual arquivos de mídia são transmitidos! Uma mídia em podcast pode ser em audio? Pode, como também pode ser em vídeo, conhecido como videocast ou “podcast de vídeo”, como também pode ser um arquivo PDF ou fotos em JPEG, já que o formato da mídia não importa, o importante é o meio pelo qual é transmitido…

A Mafê já disse lá em cima: “Podcast é a forma que o seu áudio é distribuído e recebido”, e eu ampliaria que não é só pra audio, mas pra qualquer mídia. O iTunes recebe arquivos em audio e vídeo, mas imagino que outros coletores possam receber outras formas de mídia também. E essa forma é através de uma assinatura de um feed.

Oras, se podcast não é o arquivo de audio, mas a forma como ele é recebido, vale ainda a associação entre podcast e rádio? A forma que ambos são recebidos é completamente diferente! Podcast é via podcast, rádio é via ondas de rádio. Um é via internet e coletado num coletor de feeds, outros é via ondas mecânicas e coletado num aparelho de rádio. Um requer assinatura e dá ao ouvinte o poder de ouvir quando quiser, outro basta ligar o aparelho, sem assinar e só sintonizar e deixa o ouvinte passivo pra escolher as músicas e programas a ouvir e quando ouvi-los. Eu sinceramente acho que as diferenças entre podcast e rádio são maiores do que as semelhanças…

Já que a gente define podcast pela forma como é transmitida, por que não associar podcast com algo que é transmitido da mesma forma: uma assinatura. Assina-se o feed para ouvir podcast. Então, podemos associar podcast a uma revista que você assina! Quando me perguntam o que é podcast eu digo que é como uma revista em audio pela internet que você faz uma assinatura e recebe em casa sempre que é lançado sem precisar se preocupar com isso. Então eu ensino como a pessoa pode assinar um podcast. E acreditem: não é difícil usar essa associação!

Eu prefiro associar o podcast à assinatura de uma revista do que associar à transmissão de rádio. E isso nos dá ainda a possibilidade de desassociar o podcast somente ao audio e nos permite abrir à definição para qualquer arquivo de mídia! Se pegarmos as definições de dicionário ou da wikipedia sobre podcast, todos vão se referir a arquivos de mídia e não somente de audio…

E realmente, se queremos expandir o conceito de podcast, se queremos amadurecer enquanto podcasters, então acho que devemos também deixar de associar essa mídia a outras que não vão ajudar nesse amadurecimento. Existem outros caminhos melhores e cabe a nós tentarmos descobrir qual é!

E essa é a minha opinião. My 2 cents…

Ano novo no Brasil e novos projetos na Internet tupiniquim

Todos sabem que no Brasil, o ano só começa depois do carnaval. Hoje termina oficialmente o carnaval, então entramos na contagem regressiva para que o ano começe a partir da próxima segunda-feira.

screenshotE gostaria de aproveitar esta oportunidade para anunciar dois novos projetos na internet brasileira este ano. Um dele é um novo blog e outro é um novo podcast.

O novo blog é da Federação dos Planetas Unidos, fã-clube de ficção-científica, ciência e tecnologia construído por fãs da série Jornada nas Estrelas. O fã-clube em si é cediado em Curitiba, mas a idéia do blog é para servir como ponto de encontro para fãs de ficção-científica em geral. Ele já começou com o anúncio da TrekCon a ser realizada perto da estréia do novo filme de Jornada nas Estrelas. Se você gosta de Star Trek ou é fã de ficção-científica, esse é um blog interessante para acompanhar!

O novo podcast é mais um projeto do meu amigo Eduardo Moreira, do antigo podcast de Eduardo Moreira. Eu falei aqui que a execução de seu antigo podcast pessoal iria dar muitos frutos. Pois bem, o M2List é mais um podcast fruto dessa morte! Ele é pra ser um projeto musical, uma lista de músicas brevemente comentadas. E já no lançamento do episódio piloto poderemos ver que esse podcast promete, e muito! Eu, como sou um grande fã de música e de podcasts, encontro nesse programa uma ótima forma de aliar os dois! Já sentia saudades de ouvir música no meu iPod, mas sempre que tenho tempo acabo ouvindo algum podcast. Agora não tenho mais esse problema! Parabéns, Moreira, pelo seu novo projeto e que ele traga muitos mais frutos! (E aguardem que logo logo eu faço uma participação lá)

E pra quem quer conferir, vou colocar aqui o audio do episódio piloto do podcast. É só clicar no player pra ouvir e descobrir mais um ótimo podcast!


E visitem o blog do pocast, inclusive para assinar o feed no seu iTunes!

Top 7 melhores números para ser fazer uma lista de Tops

Já que todos estão fazendo seus tops, vou fazer aqui o meu top 7 com os melhores números para se fazer lista de Tops, com suas justificativas, é claro.

7 – 100: Com 100 possibilidades para sua lista, ele pode ficar bastante completa. Esse valor é aconselhado para listas que tem muitos candidatos, como a lista dos melhores filmes da década de 1990 ou as mulheres mais sexys do mundo.

6 – 11: A lista de Tops utilizada pelo pessoal do Depois das 11 Pocast!Não é um número muito redondo nem conhecido, mas mesmo assim, por sua originalidade, merece um lugar aqui nesta lista.

5 – 3: Uma lista curtae rápida. Medalhas de bronze, prata e ouro. Ou para universos amostrais muito pequenos, como os melhores aparelhos da série N da Nokia.

4 – 5: Uma lista um pouco maior e mais elaborada para universos pequenos. Ainda é possível fazer um Top 5 dos melhores aparelhos da série N da Nokia, ou quem sabe os Top 5 maiores defeitos do iPhone.

3 – 15: Um número desafiador para quem faz listas de Tops, já que ela requer um pouco mais de esforço do que uma simples lista de 10 e oferece mais informação que uma lista de 5. Ela só não está melhor posicionada justamente porque ela dá mais trabalho e acaba não oferecendo muito mais informações do que o nosso segundo lugar na lista:

2 – 10: O clássico dos Tops! O 10 oferece uma quantidade decimalmente perfeita para quem quer saber os melhores ou piores de qualquer coisa.

1 – 7: E em primeiro lugar, o mu favorito, o Top 7. Mas por que 7? Ele oferece mais informação do que o 5 e não se estende tanto quanto o 10 e o 15, mas mesmo assim oferece uma quantidade suficientemente boa para qualquer lista de Tops. E por isso, ela fica em primeiro lugar!

Sim, eu não tenho mais nada pra fazer da vida. =D

PS: Pra todos aqueles que me escrevem sobre seus iPods, eu posso responder às dúvidas de todos. Só me esperem um pouco pra eu ter mais tempo pra elaborar essas respostas que são um tanto quanto técnicas e merecem mais cuidado e atenção de minha parte, do que uma lista de Top 7…

Crônica de uma Morte Anunciada

Já faz algum tempo que o nosso amigo Eduardo Moreira vem anunciando a morte de seu podcast, o Podcast de Eduardo Moreira. Diz ele que ele iria suicidar seu podcast e anunciou a data: 31 de dezembro de 2008. E ele cumpriu o prometido. Anunciou a morte de seu podcast, mas não para parar com o podcasting, mas sim para iniciar DOIS novos projetos. Ele mata um podast e cria dois podcasts. Mais sobre isso, vocês podem ler no próprio Blog de Eduardo Moreira ou em seu Drops.

O que eu gostaria de comentar aqui é sobre o anúncio da morte do podcast. São poucas as mortes anunciadas. Uma delas são as mortes feitas através da Pena Capital em países que se utilizam desse sistema bárbaro de punição que não serve pra nada. Outras são as cartas de suicídio que descrevem como e quando o suicida irá ser seu próprio algoz.

Mas é interessante o anúncio de uma morte e a consequência dela. Geralmente, um suicídio não é aceito. Fato. A medicina trata a ideação suicida (a idéia de suicídio ou de morte) como um sintoma clínico da depressão, por exemplo, sintoma tal que deve ser tratado. Tive pacientes que foram internados por psiquiatras por falarem de idéias de morte e suicídio com eles. A sociologia trata o suicídio como algo epidemiológico. O primeiro estudo sociológico sobre suicídio foi feito por Durkheim onde ele mostra que a grande quantidade de suicídios faz com que ele seja um problema epidemiológico e sociológico também. A religião trata o suicídio como um pecado mortal, como algo que não podemos fazer, pois Deus nos deu a vida e nós não podemos tirá-la. Podemos inclusive falar no aspecto jurídico, pois todos temos o direito à vida e não direito sobre a vida.

É muito difícil falarmos sobre o suicídio ou aceitarmos ele. Mas uma coisa é certa: as coisas morrem. Todos morreremos. E por que não podemos falar ou pensar sobre a nossa morte? Eduardo Moreira fez isso. E ao fazê-lo, reiterou que dia 31 de dezembro de 2008 seria o último dia que poderíamos fazer a piada que ele é “Eduardo Moreira, do Blog de Eduardo Moreira, do Podcast de Eduardo Moreira, do Gengibre de Eduardo Moreira, da casa de Eduardo Moreira”… E agora ele pode estar certo. Não mais poderemos fazer essa piada. MAS, poderemos fazer outras piadas! Como dizer que “Ele é Eduardo Moreira, do Eduardomoreira.net, do finaldo Podcast de Eduardo Moreira, do Antigo Gengibre de Eduardo Moreira e agora simplesmente Drops, ainda da casa de Eduardo Moreira”, etc…

hehehe

O tempo passa, as mortes vêm para trazer mudanças (no caso do Eduardo Moreira, morreu um podcast para nascer dois, o FeedbackNews Podcast e o TargetHD), mas algumas coisas continuam para sempre. Eduardo Moreira, você sempre será lembrado por quem você é, foi e será! Seu nome será lembrado por muito tempo! E boa sorte nos seus (e nossos) novos projetos!

In Vino Veritas

Uma antiga frase latina que quer dizer, “no vinho, a verdade”, ou seja, que através do vinho vem a verdade. Isso é muito comum entre aqueles que costumam beber um pouco a mais e percebem que ficam mais ‘sinceros’ com cada taça ou copo que bebem. Mas isso não serve só para o vinho, mas para qualquer bebida. O álcool tem esse qualidade. A gente costuma dizer na faculdade de psicologia que o Super-Ego é solúvel em álcool.

Neste caso, não é preciso beber ou dissolver o super-ego em álcool pra saber de uma verdade: 2008 foi um excelente ano para mim, não só pessoalmente mas também enquanto blogueiro e podcaster. E a prova disso está no reconhecimento dos colegas!

Quando comecei com o NerdExpress, basicamente influenciado pelo NerdCast, não imaginava encontrar um universo inteiro de outros podcasters. Aparentemente, esses outros podcasters acharam que o NerdExpress era um podcast de qualidade e nos convidaram para paticipar do segundo Jabácast organizado pelo pessoal do Filecast (uma das melhores coisas que aconteceu na podosfera em 2008). Nesse programa pude encontrar e conhecer ilustres podcasters do Filecast, do Papo de Gordo, do Das Antigas, do Eduardo Moreira Podcast e o pessoal do Depois das 11 Podcast.

Depois desse JabáCast, as portas se abriram e eu conheci muito mais gente! E as amizades na podosfera se estreitaram e alguns cross-overs começaram a acontecer. No NerdExpress, participamos já com o Eduardo Moreira e com o Vanassi do Depois das 11. Mas, realmente, o mundo dos podcasters é um tanto quanto ingrato. No Brasil há centenas de podcasts, mas só alguns são reconhecidos e recebem seus merecidos créditos. Outros tantos são ouvidos por poucos ou quase não são ouvidos.

E foi por isso que o pessoal do Depois das 11 quis reconhecer o trabalho dos podcasters e enviou a vários deles uma belíssima garrafa de vinho da serra gaúcha, um Marcus James Cabernet Sauvignon. Eu recebi minha garrafa ontem, quando saía de casa para comemorar o aniversário de um amigo, então só pude abrir o pacote hoje de manhã.

Foi uma belíssima surpresa, com uma mensagem melhor ainda!

30122008184“Fala Pablo!

Surpreso com o pacote? Talvez não hehehe

Essa é uma pequena lembrança que nós do Depois das 11 Podcast estamos enviando para você em agradecimento ao seu trabalho como podcaster, que nos divertiu e inspirou durante o ano de 2008.

Sabemos que a vida de podcaster é apaixonante, mas árdua.
Ser podcaster não é para qualquer um, pois trabalhar pra caramba, sem (algumas vezes) receber nem um obrigado em troca, pode ser frustrante. Ainda bem que somos persistentes, hehehe.

Por isso lhe enviamos esse humilde mimo.
Esperamos que este belo vinho gaúcho lhe dê tanta alegria ao bebê-lo, quanto temos ouvindo seu programa. Muita paz, saúde e felicidades em 2009! Que neste ano que começa, NerdExpress cresça cada vez mais.
Um forte abraço.

Equipe Depoisdas11.com

Este vinho recebido trouxe consigo essa verdade: 2008 foi um excelente ano para todos nós, com todos os problemas e crises, mas conseguimos construir belíssimas amizades. Conversamos sempre que possível e nos ajudamos promovendo o trabalho um do outro. In vino veritas, no vinho, a verdade: essa amizade ainda vai longe! E que esse vinho seja só o primeiro sinal disso. E quem venham muitos mais podcasts e muitos mais vinhos! E que, como o vinho, estas amizades só melhorem com o tempo…

Queria aqui agradecer de coração ao Vanassi e à todo pessoal do Depois das 11 pela lembrança. Tenham certeza que recebi com o mesmo carinho que foi mandado! E deixo aqui já o compromisso de retribuir com algo típico daqui do Paraná: uma belíssima cachaça de banana de Morretes que beberemos na Campus Party 2009! Eu não gosto de cachaça, mas essa é muito boa! É a única que eu gosto, então imagino que meus novos amigos podcasters irão gostar também.

Novamente, muito obrigado pela lembrança e até a Campus Party!

30122008192

ADD Especial de Natal

Estava eu passeando pelo Twitter quando vejo o anúncio do ADD Especial de Natal, do Maestro Billy, presidente da ABPOD (Associação Brasileira de Podcast). Então, como sempre, resolvi dar uma olhada no set list e gostei do que vi! Tem nomes como Elvis Presley, Frank Sinatra e Eagle! E estou ouvindo agora pela terceira vez, já que a seleção foi excelente! E como diz o próprio Maestro Billy, a seleção é bem melhor do que aqueles CDs que as tias velhas trazem pra tocar na ceia de natal. Ele inclusive deixou as vinhetas do ADD mais baixas justamente pra que você possa tocar na ceia de natal sem problemas…

Eu tomei a liberdade de colocar o player desse episódio aqui no Então, Veja Bem… Espero que o Maestro Billy Não se encomode com isso! É que eu realmente gostei! =D

Se vocês quiserem ver o set list brilhantemente montado, visitem o Blog do Maestro Billy.

Comentário ao Eddie Silva

Eddie Silva, criador do Prêmio Podcast e grande difusor dos podcasts, comecou uma polêmica em seu blog sobre o amadurecimento dos podcasters e a possibilidade dos podcasters em ganhar dinheiro. Eu tenho a minha opinião e comentei lá. Mas mesmo assim, quero deixar aqui registrado para a posteridade o que eu acho disso tudo:

Salve, Eddie!

Bem… eu já passei minha opinião pessoal pra vc via Twitter, mas mesmo assim, gostaria de expor um pouco mais dela aqui, já que tenho mais de 140 caracteres pra isso 😉

Eu sou a favor dos podcasts comerciais. Fato. Todos os meus colaboradores do Nerd Curitibano e do NerdExpress sabem disso e não escondo de ninguém. Tento fazer tanto um blog quanto um podcast de qualidade justamente para conseguir captar leitores e possíveis clientes. Mas nada disso importa se o mercado não está preparado pra esta mídia.
Recentemente, junto ao PodCon aqui em Curitiba, aconteceu o Fórum de Mídias Digitais Sociais. E lá eu pude ver que a realidade das mídias digiais sociais, os blogs, as redes de relacionamento e, por que não, os podcasts, ainda estão muito imaturos nos olhos das grandes corporações. Vi diversos cases que ilustram isso, tanto de empresas que souberam usar a Web2.0 quanto daquelas que se apavoraram e simplesmente retiraram campanhas caríssimas devido à má divulgação nos blogs.

Como que, aqui no Brasil, podemos mostrar justamente a esses clientes que não conhecem internet, não sabem o que são podcasts, que pensam que blogs são coisas de criança, que é vantajoso divulgar em podcasts? Recentemente no Jornal da Globo saiu uma reportagem cuja chamada era, “Você sabe o que é um blogueiro? Saiba como ganhar dinheiro sem sair de casa”… e na matéria basicamente mostrou algumas pessoas (adolescentes quase) que ganham uns R$100 a R$300 por mês com seus blogs pra gastar nas baladas e o Interney e o exemplo da Pólvora! Como assim, “ganhar dinheiro sem sair de casa” e mostrar a Pólvora? E o pior: ignorar os verdadeiros probloggers como o Bobagento pra mostrar jovens que ganham suas mesadas pelos blogs? E o pior foi a chamada! “Você sabe o que é um blogueiro?” Só faltava completarem com frases (q foram jogadas no twitter) como “É de comer?” ou “Olha, mãe, um blogueiro! Posso tocar?” E tudo isso pelo simples fato que na nova novela da globo haverá um personagem que é blogueiro. Como podemos, com um mercado desses, mostrar que uma mídia como o podcast funciona e é um canal viável de publicidade?

Eu realmente admiro sua iniciativa e sua vontade de montar essa agência pra podcasters. E saiba que, se você realmente abrir, eu vou ser um dos seus primeiros clientes! Eu vejo um futuro muito promissor nisso, mas tem certas horas que eu tenho que ser realista: por mais que os podcasters venham a amadurecer, será que o mercado brasileiro está pronto pra eles? Eu quero pensar que em um futuro muito breve poderemos chegar nesse ponto. De verdade. Mas realmente não sei se o problema está na maturidade dos podcasters brasileiros ou com a maturidade do mercado brasileiro.

O Vanassi tem razão em um ponto: tem gente que faz podcast por diversão e a internet propicia isso. Tem gente que faz blog por diversão e tem gente que vive disso, como o Interney, o Bobagento, o Jurandir do Rapadura e o Jovem Nerd, só pra citar alguns. O bom da internet é que ele é um espaço que possibilita tudo isso. Eu vejo que em breve teremos os podcasts profissionais e os não profissionais. Se bem que já existem alguns podcasts profissionais…

Mas, realmente precisamos amadurecer, não só o mercado mas também nós podcasters. Sinto que, nesse sentido, ainda somos crianças querendo brincar de podcast, como quando eu era criança e brincava de fazer programas de rádio com o toca-fitas de casa. Mas, da mesma forma, não adianta você pedir pra essa criança que ela transforme essa brincadeira num negócio de sucesso, que administre, além das gravações e edições e postagens nos blogs, os anúncios, patrocinadores e toda a administração financeira que isso vai acarretar! É um belo de um desafio e sinto que, agora, só precisamos de pessoas como você, que sabem como fazer isso, que tomem a iniciativa! Tenho que admitir que eu estou tentando mesmo. Tento fazer uma periodicidade no meu podcast, tento criar uma identidade nele, tento respeitar os meus ouvintes sempre comentando seus emails e comentários, enfim. Mas mesmo assim, tenho que admitir que estou só engatinhando. Descobri o que são podcasts apenas em 2008 e já consegui ver todo o potencial dessa midia! Só precisamos descobrir como…

E repito: se você for montar essa agência, fique tranquilo que eu serei um dos primeiros a querer participar disso com você!

Parabéns pela iniciativa e pela coragem em divulgar tudo isso! Abraços!

Pablo.